O prefeito de Rio Preto da Eva, Anderson de Sousa (UB), e a secretária executiva municipal de Educação, Cultura e Desporto (SEMECD) Maria do Socorro Nogueira Fontinele, não pagaram o Fundeb acumulado em mais de R$ 8 milhões, referente ao ano de 2023, para os professores do município. Ocorre que, Socorrinha Nogueira, como Maria do Socorro é conhecida no município, é a pré-candidata apoiada pelo prefeito Anderson de Sousa para concorrer à prefeitura nas eleições municipais deste ano.

Como uma secretária executiva que não comanda e nem fiscaliza com seriedade uma pasta da prefeitura quer se tornar a chefe do executivo? Se ela não consegue lidar com as demandas de uma secretaria, como conseguiria comandar uma cidade inteira?

Origem da denúncia

A denúncia chegou ao núcleo investigativo do Portal do Alex Braga por meio de professores que estão sem receber o recurso referente à arrecadação de 2023.

Os educadores protocolaram um documento junto à presidência do conselho do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e da Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb) do município de Rio Preto da Eva.

Documento protocolado pelos professores no conselho municipal do Fundeb

No documento, eles (professores) mostram os recursos do Fundo referentes ao ano de 2023, entre eles, o abono a ser pago para os profissionais da educação no valor de R$ 12.308,01 (Doze mil, trezentos e oito reais e um centavo).

Segundo os professores, até fevereiro deste ano, data de registro do documento, o recurso não havia sido pago. Após apuração, nossa equipe identificou que nada mudou de fevereiro para cá, e os educadores permanecem sem receber.

Os professores cobram o conselho municipal do Fundeb, a secretária executiva de educação do município e o prefeito Anderson de Sousa para que o recurso seja pago, visto que é um direito básico dos docentes garantido pelo governo federal.

‘Show’ de polêmicas

Anderson de Sousa é conhecido como um dos prefeitos do interior que mais faz festa e despeja dinheiro público em eventos, na cidade.

Recentemente, o Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM) divulgou uma ordem que proíbe novas festas no município rio-pretense. Isso porque, segundo a corte de contas, o prefeito Anderson de Sousa descumpriu a lei de acesso à informação, não divulgou e detalhou documentos relacionados aos eventos “Moto Rocy” e “Marcha para Jesus”, além da ausência regular da comprovação de despesas relativa às festas.

Além de não poder promover novos eventos, o prefeito de Rio Preto da Eva foi multado em R$ 13 mil.

Leia mais: Prefeito e vice-prefeito de Rio Preto da Eva são investigados por troca de favores suspeitos

Anderson é suspeito, ainda de ter desviado mais de R$ 16 milhões do Fundo Previdenciário Municipal (RIOPREV) de Rio de Preto da Eva. O caso encontra-se sob investigação dos Ministérios Públicos Estadual (MPAM) e Federal (MPF).

Leia mais: Prefeito de Rio Preto da Eva é suspeito de desviar mais de R$ 16 milhões da previdência do município

Eleições 2024

Os milhões do Fundeb, que a secretária executiva de educação e o prefeito de Rio Preto da Eva devem aos professores, parecem não importar. Isso porque, segundo informações dos bastidores da cidade, Socorrinha Nogueira é a pessoa indicada pelo prefeito Anderson de Sousa como sua sucessora nas eleições municipais de 2024, já que ele cumpre seu segundo mandato seguido e não pode concorrer ao pleito.

Há exatamente uma semana, o prefeito Anderson de Sousa levou Socorrinha Nogueira e o esposo dela para a XXV Marcha à Brasília em Defesa dos Municípios, onde o casal passou 05 (cinco) dias na capital brasileira, ou seja, 02 (dois) dias a mais do que duraria o evento.

Leia mais: Prefeito de Rio Preto da Eva viaja à Brasília com esposa e secretários; gastos ultrapassam R$ 20 mil

Nossa equipe investigativa entrou em contato com o prefeito e com a secretária executiva de educação em uma nova tentativa de obter respostas frente às denúncias que têm sido apresentadas contra eles, mas até o momento não obteve resposta.

Share.